(UMA HISTÓRIA SOBRE DEPRESSÃO)

A depressão, é como um navio, numa tempestade,
que anda à deriva e sem rumo.
Quem entra nele descobre mais tarde
que a sua vida desaparece como o fumo.
 
Tal como acontece com esse fumo,
que se deixa ir com o vento,
tu pensas que só o túmulo
 fará desaparecer o teu tormento.
 
Mas isso, jamais será verdade
por impossível, que te pareça,
assim tenhas tu, força de vontade
para lutar contra essa doença.
 
Pois tens de ser tu a descobrir,
onde essa força encontrar
e se a tua mente permitir
dentro de ti a vais descobrir e agarrar.
 
Agarra-te ao navio como puderes
e não te deixes cair ao mar.
À tua volta terás sempre que quiseres
amigos com vontade para te ajudar.
 
Procurar ajuda não é difícil
desde que sejas empenhada
e nunca sejas descrente,
Pois, podes precisar de ser medicada.
 
Agora a quem está por perto
eu tenho que aconselhar,
que não é entrar por esse navio a dentro
a melhor maneira de ajudar.
 
É que eu mesmo caí nesse erro
e estive com um pé lá dentro.
Por sorte ouvi um conselho
e salvei-me ainda a tempo.
 
Quase nele entrei sem pensar,
mas por ter uma bela razão.
É que dentro desse navio,
reside metade do meu coração.
  
Consegui voltar ao meu navio,
mas sem desistir, nem esquecer,
que o meu grande objectivo.
É resgatá-la, mas sem me perder.
 
Estou a ganhar uma força maior
e vou mostrar o quanto a estou a AMAR
e entregar-lhe esse grande pormenor
para me dizer como a hei-de resgatar.
 
Talvez seja uma boa solução,
Rebocá-la para a tirar dali.
Pois a minha preocupação
 é trazê-la, sem eu entrar por aí.
 
Nesse navio não vou entrar
pois posso não conseguir sair.
Mas jamais a vou abandonar
e só sei que vou conseguir.
 
E tu que olhas de fora,
não sejas cruel nem descrente.
É que esta doença não se vê
apenas quem a tem é que a sente.
 
Nunca insistas em perguntar
que te expliquem o que se sente
não dá nem para explicar
o quanto se está doente.
 
Não tem dor, não tem ferida.
Não se consegue explicar.
Não é como uma perna partida
que qualquer leigo pode enxergar.
 
Nunca julgues mal esta doença
nem da pessoa que a tem.
Ela não é contagiosa,
Mas tu podes apanhá-la também.
 
Ter a doença é difícil
mas, mais difícil é ainda ter
alguém ao nosso lado que decide
não nos dar apoio para a vencer.
 
Não sei se sou a pessoa certa
para dar este conselho.
Mas nunca deixes de gostar
daquilo que vês no teu espelho.
 
Há um ditado antigo que diz.
Que o melhor conselheiro é a almofada.
Sempre que optares por fazê-lo
nunca o faças à noite, mas sim de madrugada.
 
É que nem sempre se encontra a solução
para os assuntos resolver.
E nada pior para a depressão,
que passar a noite sem adormecer.
 
Agora um conselho final,
principalmente a ti que estás deprimida.
A vida nunca se adapta a ti,
 tens de ser tu a adaptar-te à VIDA

Um texto de HD

Partilhar isto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *