Que andamos nós a fazer
No que queremos transformar este mundo
Se quem semeia colhe
Ao semearmos cadilhos
Eles ficarão cá para o futuro dos nossos filhos.
 
Que direitos são esses que apenas alguns usufruem
Que justiça permite tamanha desigualdade
Inimaginável seria pensar que no século XXI
Fosse necessário alertar, gritar
Insistir e persistir
Sem conseguir fazer ouvir
Quem por direito devia emitir
A alta voz a obrigatoriedade
De a todos alcançar, sem ser preciso rogar
Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
 
Fome, pobreza e discriminação
Substituem condições de bem essencial
Vivemos inquietados com os direitos
Quando na verdade é também importante
Que os deveres ganhem nova dimensão
E sejam tratados de forma concomitante.
 
Deveres e direitos de mãos dadas
Serão a clara solução para os problemas
Quem conhecer os seus deveres
Transportará sempre na lembrança
Que o mundo só faz sentido
Se todos usufruirmos de Dignidade, Justiça e Esperança.

Texto de MD

Partilhar isto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *