As mudanças de estação provocam alterações de humor, inevitáveis e incontroláveis. Mais acentuadas nuns do que noutros, mas de alguma forma todos sentimos algo diferente. Na maioria das pessoas esta condição apresenta-se de forma mais intensa no inverno devido à falta de luz. O frio, a chuva, os dias mais curtos e cinzentos acentuam, por vezes, o mal-estar e a sensação de tristeza.
Sabe-se que a menor exposição ao sol diminui os níveis de vitamina D e, consequentemente, influencia negativamente a hormona da felicidade – serotonina. Por outro lado, aumenta a quantidade de melatonina que induz o sono, a fadiga e o cansaço.
É comum tentarmos minimizar estes efeitos através do consumo aumentado de calorias. Por isso no inverno apetecem pratos mais elaborados e com valor energético mais elevado. E claro, a consciência sofre menos se tivermos uma justificação para os abusos e o Natal e Fim de Ano foram a desculpa perfeita.
Mas não se assustem, esta tendência é transitória e podemos contrariá-la através de estratégias simples como passear ao ar livre, praticar exercício físico, ter uma alimentação saudável, estar na presença de luz natural sempre que possível e nutrir o pensamento positivo.
Nem tudo é mau! Não podemos esquecer do conforto que é estar em casa, em frente à lareira, com um bom livro de companhia e a ouvir a chuva a cair lá fora.
Resumindo. Sim, a depressão sazonal existe, não, não é grave, e podemos ter um papel ativo sobre os efeitos provocados por esta desordem. Por isso, lembremo-nos sempre do poder do pensamento positivo. O corpo e a mente vivem profundamente ligados e influenciam-se mutuamente. A positividade é nossa aliada, promove o bem-estar, a autoestima e o controlo das emoções e dos comportamentos saudáveis.
 
Sejam felizes, quer chova ou faça sol!

Texto de MD

Partilhar isto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *